RELEMBRE: 5 ANOS DA ERA RATED R


Hoje, dia 20 de outubro, completa 5 anos que a Era Rated R começou. Sucessora da Era Good Girl Gone Bad, a fase mais dark e sombria de Rihanna estava prestes a surpreender o mundo com refrões provocantes, ritmos quentes, letras sombrias e timbres fortes. 

Começaremos pelos singles! O mundo inteiro ficou espantado com a divulgação do primeiro single, "Russian Roulette". O conceito da arte da capa do single espantou a todos. Com o foco no sadomasoquismo, a cantora se enrolou em vários arames e correntes, dando a entender que uma Era bombástica e explosiva se iniciava e que acima de tudo: Rihanna estava crescida e não era mas a garota "inocente" de 'Rehab' ou 'Umbrella'.

Foi escrita e produzida por Ne-Yo, com ajuda na composição pela cantora. Estreou nas rádios em 21 de outubro de 2009. Composta num ritmo totalmente diferente de singles anteriores, "Russian Roulette" traz uma canção dark e um refrão forte, puxando ao máximo os poderes vocais de RiRi. A música fala sobre o que pode acontecer se nos apaixonarmos fortemente por alguém, e evidencia quando esse amor se transforma numa espécie de "jogo fatal". O ritmo hesitante, é semelhante ao de "Unfaithful", mas não tão profundo.

Foi certificado como disco de ouro pela ARIA, RIANZ e pela IFPI da Suíça. Foi interpretada pela primeira vez ao vivo no concerto promocional da Nokia, para promover o lançamento do álbum. Desde aí, têm sido feitas várias atuações da canção, incluindo na cerimônia de entrega do NRJ Music Awards.

O segundo single, porém promocional, foi "Wait Your Turn". A canção foi escrita e produzida pela equipa norueguesa Stargate e pela dupla Chase & Status, com auxílio na escrita por James Fauntleroy II, Takura Tendayi e Robyn Fenty. A sua gravação decorreu em 2009 nos estúdios Metropolis, em Londres, Inglaterra. A sua primeira reprodução ocorreu em setembro de 2009 com pequenos excertos utilizados num comercial promocional que anunciava a data da edição do disco, no qual se podia ouvir uma linha proeminente da obra, "A espera terminou". Mais tarde, no final do mês de outubro do mesmo ano, 2009, acabou por ser colocada na internet. A música, foi lançada em 13 de novembro de 2009 como parte da promoção para a edição do disco, tornando-se single promocional na iTunes Store através da editora discográfica Def Jam Recordings.

A canção deriva de origens estilísticas do hip-hop e dubstep, sendo que o seu arranjo musical consiste no uso de sintetizadores e ainda em acordes de guitarra. Liricamente, o tema retrata a comparação entre a procura do amor e um jogo. "Wait Your Turn" recebeu análises positivas por parte dos profissionais, sendo que alguns consideraram que a sua melodia adicionava variedade à sonoridade do álbum e outros prezaram o uso acrescido de dubstep. Devido às vendas digitais, entrou pela primeira vez numa tabela musical em 26 de novembro de 2009, na Irish Singles Chart da Irlanda, onde alcançou a trigésima segunda posição. Na UK Singles Chart conseguiu colocar-se no 45º lugar e permanecer durante duas semanas na publicação britânica. A obra debutou na ARIA Singles Chart no 82º lugar e nos Estados Unidos, obteve o número dez na lista Bubbling Under Hot 100, que funciona como uma extensão da principal Billboard Hot 100.

O terceiro single e oficial no mundo inteiro foi "Hard". Conta com a colaboração do rapper Young Jeezy. Foi escrita por Terius Nash, Christopher Stewart, Robyn Fenty, Jay Jenkins, e produzida por The-Dream, Tricky Stewart. A sua gravação decorreu em 2009, nos estúdios Davout em Paris, The Boom Boom Room e Burbank na Califórnia, Legacy Recording Studios em Nova Iorque e Triangle Sound Studios na Geórgia.

Deriva de origens estilísticas de hip-hop e R&B, composta num ambiente festivo de elite, protagonizando um regime militar envolto em cenas quentes e provocadoras. A música serve como segundo single do disco, lançado para o mercado norte-americano através das rádios em 10 de novembro de 2009 e para o britânico em 16 de agosto de 2010 em formato físico. Foram feitas remisturas da faixa por Lil Kim e Trey Songz, sendo também lançado digitalmente um conjunto de nove edições misturadas através de um EP. A sua primeira performance completa foi no concerto promocional organizado pela Nokia, para promover o lançamento do álbum da cantora. Desde aí, foram feitas várias atuações da canção, incluindo na cerimônia de entrega de prêmios American Music Awards, e posteriormente na digressão Last Girl on Earth Tour que percorreu várias cidades europeias, como Londres, Antuérpia, Marselha e Hamburgo, e também norte-americanas, como Miami, Toronto e Chicago.

E o quarto e mais bombástico single do álbum foi lançado, "Rude Boy". A canção foi escrita por Mikkel S. Eriksen, Tor Erik Hermansen, Ester Dean, Makeba Riddick, Rob Swire e pela própria Rihanna, sendo produzida pela equipa Stargate e Rob Swire. Foi lançado como segundo single mundial do álbum, e terceiro nos Estados Unidos em 9 de fevereiro de 2010 nas rádios norte-americanas, e em 22 de fevereiro de 2010 como single físico no Reino Unido.

Na capa do single, Rihanna segura num letreiro onde é visível o nome da música, "Rude Boy". Esta mesma placa, está a cobrir o corpo nu da cantora, apenas mostrando os seus braços e pernas. A sua indumentária apenas consiste num chapéu e botas pretas, e ainda está com um cigarro na boca. No lado direito, está o "R" metálico, usado na capa frontal do álbum, Rated R.

O site "The Guardian" denominou a canção como o "centro do álbum" e disse que a música "apela ao estilo vocal de Rihanna, mal-humorada, gelada, monótona - única entre o panteão de divas de R&B". Nick Levine da Digital Spy considerou a música uma boa "acompanhante para a noite". Ainda comparou a sonoridade da canção às faixas do seu álbum antecessor, Good Girl Gone Bad, diferenciando apenas o estilo mais "ameaçador" revelado. Para Levine é considerado o momento mais "cativante" do álbum, um "prazer de dancehall" de forma "escandalosa, prometendo transformar o seu próprio corpo". Michael Menachem da Billboard diz que com esta música é entregue uma letra e som "provocadores até à data" pela cantora. Mais uma vez, a faixa é comparada a M.I.A. e às suas "referências na cultura pop", misturando com o estilo jamaicano, ska e dancehall.

"Rockstar 101" foi o quinto single do álbum e conta com a participação do guitarrista norte-americano Slash, com composição pela própria cantora em conjunto com Terius Nash, Christopher Stewart, sendo que estes dois últimos também estiveram a cargo da produção. A sua gravação decorreu em 2009, nos estúdios Serenity Sound Studios em Los Angeles, The Boom Boom Room em Burbank, ambos localizados na Califórnia, e ainda nos Triangle Sound Studios em Atlanta, Geórgia. O tema foi enviado para as áreas radiofônicas mainstream e rhythmic através da Def Jam Recordings a 28 de Maio de 2010, servindo como quarto single do projecto. Cinco dias depois, foi disponibilizado digitalmente em formato extended play (EP) na extinta Masterbeat e um mês depois na iTunes Store dos Estados Unidos.

Deriva de origens estilísticas de rock e dubstep, que infunde som eletrônico com uma mistura de sintetizadores. A sua sonoridade é composta através dos vocais, juntando ainda acordes de guitarra do profissional Slash. Liricamente, o tema mostra a forma de vida que uma estrela de rock leva, segundo a visão de Rihanna. O vídeo musical foi filmado em Abril de 2010, com a direcção de Melina Matsoukas, que já tinha trabalhado anteriormente com Rihanna em "Hard" e "Rude Boy". O teledisco foi lançado em 25 de maio do mesmo ano através do serviço VEVO. Inclui a cantora fazendo várias poses de guitarristas intemporais, retratando inclusive o próprio Slash, como forma de homenagem por este não ter participado no vídeo.

O sexto e último single do álbum foi "Te Amo", uma das mais românticas do disco. Foi escrita e produzida pela equipa norueguesa Stargate, com auxílio de James Fauntleroy II e da própria intérprete na escrita. A sua gravação decorreu em 2009, nos estúdios Metropolis em Londres, Inglaterra. Após a escolha do lançamento de "Rockstar 101" para os mercados norte-americanos, o tema foi enviado para as áreas radiofónicas mainstream do Canadá através da Def Jam Recordings em 7 de junho de 2010, servindo como quinto e último single do projecto. No dia seguinte, foi disponibilizado digitalmente na iTunes Store de vários países, incluindo a Austrália, Itália e Portugal.

Deriva de origens estilísticas de música latina e R&B, que infunde som electrónico com uma mistura de sintetizadores. A sua sonoridade é composta através dos vocais, juntando ainda acordes de guitarra e piano. Liricamente, o tema retrata a história de uma rapariga que se apaixona por Rihanna, mas esta tenta explicar que não gosta dela da mesma maneira. A recepção por parte da crítica sobre música foi positiva, em que alguns analistas elogiaram a faixa pela sua letra e pelo som menos futurista que está expresso noutras faixas do disco. Após o seu lançamento, o desempenho comercial foi positivo, conseguindo alcançar as vinte canções mais vendidas de vários mercados internacionais, como a Áustria, Finlândia, Irlanda, Itália, Noruega, Polónia, entre outros.

"Te Amo" é uma canção que incorpora elementos de estilo latinos-americanos e R&B, produzida pela equipa norueguesa Stargate. A sua gravação foi trabalhada por Mikkel S. Eriksen e Marcos Tovar em 2009, nos estúdios Metropolis em Londres, Inglaterra. A sua composição foi construída com acordes de guitarra por Bernt Rune Stray e piano a cargo de Eriksen e Tor Erik Hermansen. Kevin "KD" Davis tratou da mistura em conjunto com Anthony Palazzole.

Voltando a falar do álbum, as sessões de gravação do trabalho tiveram lugar nos estúdios Milk em Manhattan, Nova Iorque, Metropolis em Londres, Inglaterra, Studios Davout em Paris, França e nos Westlake Recording Studios em Los Angeles, Califórnia. A artista trabalhou com vários compositores e produtores, incluindo Chuck Harmony, The-Dream, Christopher "Tricky" Stewart, Chase & Status, Stargate e Justin Timberlake. A própria Rihanna afirmou que queria trabalhar em algo menos synthpop, mudando o género tipicamente comercial dos seus álbuns anteriores. No início do trabalho de produção, a cantora trabalhou também com Adonis Shropshire, que defendeu o fato da jovem ter regressado facilmente a estúdio com um conjunto de ideias "bem definidas". Stargate acrescentou que a colaboração tinha sido "bastante gratificante" e "inspiradora", comentando o seguinte: "Eu não acho que devemos falar de títulos ainda. Não sabemos quais são as músicas que vamos fazer, mas parece interessante". Mais tarde foi revelado que a equipa de produção tinha trabalhado em conjunto com a artista e o rapper canadiano Drake, contudo, por razões desconhecidas a faixa não integrou no alinhamento final do trabalho.

Durante os meses de verão foram gravadas faixas com Harmony. Rihanna também teve um papel mais amplo no processo de composição com Timberlake e Ne-Yo, que a ajudaram a exprimir melhor os seus sentimentos nas letras. Trabalharam juntos num grande número de músicas, embora Ne-Yo não soubesse exatamente quais seriam colocadas no disco. O cantor de R&B afirmou ainda que Rihanna estava diferente e não era a mesma rapariga com quem tinha trabalhado há uns anos, concluindo que tinha crescido a nível musical. Em relação à direção sonora, a barbadense queria músicas mais obscuras, mas não apenas pela percepção de escuridão, mas sim pelo significado. Harmony, responsável por todo o instrumental de "Russian Roulette", concebeu algo mais obscuro e com uma estética mórbida. A artista sentiu-se confortável com a faixa, e inclusive numa chamada com Ne-Yo. declarou que era uma das suas favoritas e que queria que o disco segui-se o mesmo estilo. Nuno Bettencourt, guitarrista da banda Extreme, que participou na digressão de promoção de Rated R, revelou que os planos iniciais de Rihanna teriam sido para uma influência ainda mais rock, mas que a Def Jam teria "escolhido uma direção diferente".


A turnê que promoveu o álbum foi a "Last Girl on Earth Tour", que iniciou em 16 de abril de 2010 na Antuérpia, Bélgica. Jamie King foi creditado como diretor do evento juntamente com Simon Henwood como diretor criativo. Foram anunciadas aproximadamente 70 datas, contudo algumas foram canceladas, e mais tarde remarcadas. Pixie Lott serviu como ato de abertura para trinta concertos realizados na Europa. A fase no Norte da América contou com a abertura da cantora Ke$ha, começando em 4 de julho de 2010 em Vancouver, com vinte e seis datas adicionais. A fase final da série teve início em fevereiro de 2011 na Austrália. Live Nation e Roc Nation foram as patrocinadoras oficiais da tournée no Norte da América, e a operadora Optus na Austrália.

Rebel One foi a equipa que esteve por detrás da gerência de todo o evento, sendo responsável pelo cumprimento da direção criativa, estilo, assistência, aprovisionamento, produção, pela banda e o coro. A banda, denominada Mad House, monitorizou a área sonora em conformidade com os vocais de Rihanna. Para finalizar, Rated R: Remixed foi lançado em 8 de maio de 2010 em formato digital, tratando-se de um conjunto de remisturas por Chew Fu a partir das músicas originais. Para a produção de palco, foi concebido vários televisores LCD para exibir imagens promocionais do espectáculo, um carro antigo remodelado, um tanque de guerra cor-de-rosa, vários manequins, câmaras de filmar alteradas, entre outros utensílios, todos alusivos a cada canção interpretada. O tema descrito em cada concerto, revelava os sonhos e desejos de uma última rapariga na Terra. O alinhamento musical consistiu em músicas de Rated R, entre algumas retiradas de álbuns anteriores, como "Don't Stop the Music", "Disturbia", "Umbrella", entre outras.

O concerto foi divido em quatro segmentos, em que cada um deles incluía um vídeo de interlúdio, em que o primeiro demonstrava os sonhos da última rapariga à face da terra, cujo música de fundo era "Mad House", e foram sete as indumentárias diferentes. Após o esquema introdutório, a cantora entrava numa placa em movimento com sons de guitarra eléctrica. Ao longo de todo o evento, os cenários iriam mudando em conjunto com o aparecimento de dançarinos e outros elementos produtivos. A bateria e a guitarra foram dois instrumentos presentes durante as performances, sendo que artista teve aulas antes do início da digressão.

Numa entrevista ao Entertainment Tonight, Rihanna explicou a origem do título da digressão. A cantora declarou: "Eu gosto de pensar em mim como "a última rapariga na Terra", porque às vezes as pessoas tomam decisões com base na perspectiva dos outros e, para mim, a minha vida é minha vida. O meu mundo, e eu vou vivê-la como quiser. É assim que penso sobre tudo, da maneira que estou focada em mim, e no meu trabalho. É um espaço muito estreito, um foco"O evento foi anunciado oficialmente em 9 de dezembro de 2009, durante as gravações do vídeo musical de "Hard". Rihanna anunciou algumas datas para a parte europeia no seu sítio oficial. A cantora e compositora britânica Pixie Lott foi seleccionada para abrir os concertos no Reino Unido, juntamente com Tinchy Stryder e Tinie Tempah. Em entrevista à MTV, afirmou: "Foram… saindo ideias diferentes e coisas interessantes que podemos fazer. Coisas que nunca vimos antes, mais ousadas - mas agora é quando realmente começam os ensaios e entramos no âmago da questão e dos detalhes", descreveu ainda a tournée como "ousada". A cantora continuou a afirmar que os espectadores "podem esperar algumas surpresas sexy quando for para o Reino Unido. Vou sair em digressão, esperando trazer até ao Reino Unido alguns festivais".


Resumindo, o Rated R marcou a volta de Rihanna para a música, pois o GGGB foi lançado em 2007. Essa Era também marcou o iniciou da cronologia de todo ano, em novembro, a cantora lançaria um álbum. Entre a RihannaNavy, os singles foram super bem recebidos e o álbum, em geral, também. Muitos chegam a falar que as músicas eram em resposta ao cantor Chris Brown, ex-namorado de RiRi.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem